CD ACOLHIDA

Lindas camisetas de Pedagogia(CLIQUE NA FOTO)

FAÇA AQUI SUA PESQUISA

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

10 elogios que seus filhos precisam ouvir

  • Nossos filhos precisam ouvir palavras de afirmação de nós a cada dia. Às vezes, é fácil esquecer que nossos filhos têm as mesmas necessidades profundas e emocionais que nós. Mas quando paramos nossas tarefas para elogiá-los de maneira sincera, isso aumenta a sua autoestima e a qualidade de nosso relacionamento com eles. Se você está querendo ter uma conexão mais profunda com seus filhos, pense em como você pode adaptar um desses 10 elogios especialmente para eles.
  • 1. Adoro ver você jogar/fazer isso

    Você cai na armadilha de apenas parabenizar seu filho quando ele é bem-sucedido em alguma coisa? Em vez disso, tente elogiar os seus esforços, seja no campo de futebol, na sala de aula ou ajudando em casa. Ensine a seu filho que é o esforço, mas nem sempre o resultado, que importa. Esse é o caminho mais rápido para construir uma autoestima saudável.
  • 2. Estou tão feliz por você ter escolhido passar um tempo comigo hoje

    Se não fizermos esforços para nos aproximar de nossos filhos, eles vão correr na direção oposta. Quando a criança escolhe passar um tempo com o querido e velho pai, elogie seu uso do tempo. Faça com que ela saiba que você aprecia o seu esforço para se aproximar.
  • 3. Você fez um ótimo trabalho fazendo isso sozinho

    Às vezes, as tentativas de independência de nossos filhos não dão muito certo, mas isso não significa que devemos repreendê-los. Toda vez que seu filho tentar ser independente, reconheça e recompense seus esforços.
  • 4. Eu gosto de seus amigos

    Conforme nossos filhos ficam mais velhos, vamos perdendo influência na questão amigos. Quando seu filho trouxer para casa amigos que você aprova, diga isso a ele. Apesar das evidências mostrarem o contrário, ele quer sua aprovação. Ele vai ouvir sua opinião sobre seus amigos quando for apresentada de uma forma positiva.
  • 5. Você está muito bonito hoje

    Um dos melhores presentes que podemos dar aos nossos filhos é uma maneira saudável de ver a aparência. Quando você elogia uma característica que a criança não pode mudar, como a cor dos olhos ou a composição corporal, isso envia a mensagem de que a beleza é algo que você tem ou não. Em vez disso, elogie o penteado apropriado, a escolha de roupas apropriadas e um sorriso vencedor; todas as coisas que seu filho pode controlar.
  • 6. Obrigada pela sua atitude hoje

    Mais cedo ou mais tarde, temos que fazer coisas que não queremos fazer. Deixe para o seu filho a mensagem de que a atitude conta, mesmo quando você se encontra em uma situação ruim.
  • 7. Que legal que você aprendeu isso

    A infância e a adolescência têm vários marcos. Não os deixe passar despercebidos. Quando seu filho dominar um conceito matemático difícil ou trouxer para casa uma licença provisória para dirigir, faça o seu entusiasmo corresponder a alegria de seu filho. Compartilhe seus triunfos.
  • 8. Você me inspira

    Às vezes, as crianças sentem como se estivessem abaixo de seus pais. Embora os pais mereçam muito respeito, os filhos precisam saber que eles abençoam a sua vida, tanto quanto você abençoa a deles. Diga-lhes o quanto você aprecia sua criatividade e energia e como o exemplo deles influencia você positivamente.
  • 9. Você é um ótimo irmão ou uma ótima irmã

    Relacionamentos entre irmãos podem causar alguns dramas, então elogie seus filhos quando eles se esforçarem para fazer as pazes. Quando seu filho não continua com uma discussão, ele merece reconhecimento, tanto para o seu próprio bem quanto para inspirar as outras crianças na casa.
  • 10. Sou tão grata(o) por você ser parte da nossa família

    Dias ruins vêm e vão. Os filhos crescem e mudam, mas seu filho precisa sentir-se seguro em seu lugar na família. Conforme ele vai para a escola, ganha independência, e eventualmente sai de casa, ele precisa saber que ele sempre terá um lugar especial em seu coração e na unidade familiar.
    Traduzido e adaptado por Sarah Pierina do original 10 compliments your kids need to hear.
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

13 filmes que discutem racismo na educação


Consciência Negra. Dia em que se relembra a morte de Zumbi dos Palmares, líder de um quilombo,  que lutou incessantemente pela libertação de escravos e por uma sociedade digna. Na perspectiva de discutir como ainda hoje o racismo está presente e como a luta do movimento negro permanece necessária na sociedade brasileira, o Centro de Referências escolheu 13 filmes que tratam da temática no ambiente escolar ou na educação de forma geral. São histórias presentes que nos auxiliam a desvendar a origem dos preconceitos e dar mais passos para que o país como um todo possa vencê-los.
1. Escritores da Liberdade, Richard LaGravenese – EUA/ 2007/Comédia Dramática


Uma nova professora chega a escola tentando mostrar aos estudantes que aquilo que trazem de casa os das ruas faz sentido também dentro da sala de aula. Problemáticas como racismo, desigualdade social e exclusão social dão o mote do filme. Baseado em fatos reais, o longa mostra como a professora Erin Grunwell transformou a relação de aprendizagem  em uma escola dividida por tribos. Escola marcada pela resistência dos estudantes em lidar com as diferenças, é por meio da professora que a discussão de cor/raça é trazida para as atividades, que incluem escrever sobre a história de vida de cada um.
2. Vista a minha pele, Joel Zito Araújo & Dandara - BRA/2004/ Comédia

 O vídeo ficcional-educativo traz em menos de 30 minutos uma paródia sobre como o racismo e o preconceito ainda são encontrados nas salas de aula do Brasil. Invertendo a ordem da história, o vídeo utiliza a ironia para trabalhar o assunto de forma educativa. Nele, negros aparecem como classe dominante e brancos como escravizados e a mídia só apresenta modelos negros como exemplo de beleza.
3. Cultura Negra – Resistência e identidade, Ricardo Malta – BRA/2009 /Documentário

O documentário, produzido pela da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) e do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP), organizações sociais que combatem a intolerância religiosa e buscam por maior visibilidade da cultura negra. Um dos objetivos do vídeo é contribuir com o debate entorno da Lei nº10639/03, que torna obrigatório a inclusão do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e inclusão, no calendário escolar, do dia 20 de novembro como “Dia da Consciência Negra”.
4. Olhos azuis, Jane Elliot- 1968/EUA/Documentário

O documentário mostra como foi o trabalho desenvolvido pela educadora norte-americana Jane Elliot, que realizou atividades de conscientização tanto com crianças quanto com adultos brancos, em 1968. O vídeo mostra o processo de conscientização realizado durante as oficinas, no qual os brancos poderiam sentir a discriminação sofrida por negros.
5. Ao mestre com carinho, James Clavell, 1967/ EUA

Um engenheiro desempregado começa a lecionar em uma escola pública da periferia de Londres, formada por estudantes rebeldes e também racistas. Aos poucos, ganha a confiança, amizade e respeito dos alunos.
6. Mãos talentosas, Thomas Carter-2009/EUA/Drama

O filme conta a história de um menino pobre do Detroit. Desmotivado por tirar baixas notas na escola, era motivo de bullying de forma frequente. Incentivado a estudar pela mãe, que voltou a estudar já adulta, Ben Carson torna-se diretor do Centro de Neurologia Pediátrica do Hospital Universitário Johns Hopkins aos 33 anos, em Baltimore, EUA.
7. Encontrando Forrester, Gus Van Sant – 2000/ EUA

O filme trata sobre a história  de Jamal, um adolescente do Bronx que vai estudar em uma escola de elite de Manhattan (EUA).  Mas continua sofrendo discriminação e preconceito por conta de sua cor. Com a ida, conhece o talentoso escritor William Forrester , que percebe seu talento para a escrita e o incentiva a prosseguir nessa área.
8. Mentes Perigosas, John N. Smith -1995/EUA/ Drama

A professora Louanne Johnsonganhar dinheiro com artesanato entra em uma escola da periferia norte-americana e é hostilizada pelos alunos. Percebendo que seu método de ensino não está funcionando Louanne passa a se envolver mais com a diversidade cultural de seus estudantes e, assim, percebe melhor as dificuldades que passam.
9. Entre os muros da escola, Laurent Cantet – 2008/ França/ Drama

François Marin  atua como professor de língua francesa em uma escola de ensino médio, na periferia de Paris, composta por estudantes de diversos países da África, do Oriente Médio e da Ásia. Ele e seus colegas docentes tentam buscar diversas ações para ensinar os estudantes, mas ainda assim encontram dificuldades, dada as condições socioeconômicas em volta da unidade escolar.
10. Separados mas iguais, George Stevens Jr – 1991/ EUA/ Drama


Baseado em fatos reais, “Separados, mas iguais” narra a disputa entre pais de alunos negros  e juízes do Condado de Claredon, na Carolina do Sul, no início dos anos 50. Na época, as escolas separavam os alunos brancos, que claramente tinham acesso à educação de maior qualidade acesso à verba para manter a estrutura das escolas.Um diretor da escola , tem o pedido de um ônibus escolar negado, com o apoio do pai de um de seus alunos, entra com processo contra o estado, alegando a inconstitucionalidade do país ao promover escolas diferenciadas para negros e brancos.
11. Sarafina – o som da liberdade, Darrell Roodt – 1992/África do Sul/Musical

Com Whoopi Goldberg no papel principal, o filme conta a história de uma professora sul-africana que não aceita ver seus estudantes se sentindo diminuídos. Em um processo educativo permanente, ela ensina seus alunos negros a lutarem por seus direitos e compreenderem a sociedade em que vivem, não esquecendo que podem diariamente transformá-la.
12. Preciosa, Lee Daniels – 2009/EUA/ Drama

O filme conta a trajetória de Claireece “Preciosa” Jones, uma garota negra que sofre diversas dificuldades. Quando criança, é abusada e violentada pelos pais. Cresce pobre e passa por uma série de discriminações por ser analfabeta e acima do peso. Após muita insistência pessoal e com a ajuda de uma educadora que muito acredita na sua possibilidade de mudança, Preciosa dá a volta por cima.
13. Alguém falou de racismo, Daniel Caetano – 2002/Brasil/Drama

O filme mistura trechos documentais e ficcionais para contar a história de um professor que decide provocar seus alunos a pensarem sobre o preconceito racial e a construção da sociedade brasileira que sistematicamente segregou negros e brancos.
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Horta em forma de flor usando garrafas pet



Postei esta dica lá na nossa fanpage  e foi um sucessooooo!!! Daí claro que ficou todo mundo perguntando e mandando email sobre o passo a passo desta linda horta feita em formato de flor, com reciclagem de garrafa pet!!! Bom gente eu não tenho o PAP com fotos, mas pra não deixar vocês na mão, aí vai uma dica de como fazer, bem explicadinho... super fácil, vamos lá???

Esta é uma ótima dica para trabalhar na PRIMAVERA!!!

Como que faz?
Pra começo de conversa... vamos riscar no chão o molde da flor. Você vai riscar bem certinho as 06 pétalas do tamanho que você quiser, lembrando que elas não se fecham totalmente (para sobrar o miolo). Encha as garrafas pet com água e coloque corante (qualquer um) de cores variadas dentro. Você também pode tingir a água com papel crepom!!! Não precisa encher totalmente. Feche bem as garrafas.

Agora, você vai precisar 'cavar' suas pétalas com uma enxada ou enxadão para encaixar as garrafas com o gargalo para baixo, ou seja, de cabeça para baixo. Não precisa cavar muito também. Vá intercalando as cores, deixando o miolo para plantar a cebolinha. Firme bem a terra, socando para que fique bem resistente. Agora é só plantar sua horta!!!

Ideia mais que criativa da Escola Raimundo Gonçalves Maia. Só descobri os créditos agora e quero aproveitar e parabenizar a todos pelo belíssimo trabalho, muito rico!!!
Gostaram da ideia?  Essa foto é de um trabalho desenvolvido no município de Tauá, no Ceará, em pleno semi árido. A Horta registrada nessa foto é da Escola Raimundo Gonçalves Maia  e é uma das ações do ProjetoEducandocom a Horta Escolar e a Gastronomia Peheg Tauá/Ce. Além do plantio das hortaliças, a horta é usada como instrumento pedagógico e as crianças podem ter aulas práticas aplicando conceitos da matemática, ciências, língua portuguesa, inglês e outras disciplinas. As hortaliças são inseridas na merenda escolar, enriquecendo-a. Eduardo Andradeé o coordenador do Grupo de trabalho da Escola. Esse Projeto é desenvolvido em outras 8 escolas do município. A Coordenadora do Projeto no Município é a Técnica da Secretaria da Educação Cristina Oliveira(Pedagoga, Bióloga e aluna do Curso Técnico em Meio Ambiente). Parabenizamos a todos os participantes!!! Lindooooooo trabalho!!!
Fonte: gentemiuda
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Entrevista Edgar Morin: é preciso educar os educadores



Edgar Morin, sociólogo e filósofo francês, retorna ao Brasil para conferência magna no evento Educação 360, que acontece no Rio de Janeiro, nos dias 05 e 06 de setembro, e conta com outros convidados como Pierre Lévy e Shukla Bose. Em entrevista ao O Globo, Morin critica o modelo ocidental de ensino e diz que o professor tem uma missão social, por isso, segundo ele, “é preciso educar os educadores”. Leia abaixo:
O Globo: Na sua opinião, como seria o modelo ideal de educação?
Edgar Morin:
 A figura do professor é determinante para a consolidação de um modelo “ideal” de educação. Através da Internet, os alunos podem ter acesso a todo o tipo de conhecimento sem a presença de um professor. Então eu pergunto, o que faz necessária a presença de um professor? Ele deve ser o regente da orquestra, observar o fluxo desses conhecimentos e elucidar as dúvidas dos alunos. Por exemplo, quando um professor passa uma lição a um aluno, que vai buscar uma resposta na Internet, ele deve posteriormente corrigir os erros cometidos, criticar o conteúdo pesquisado.

É preciso desenvolver o senso crítico dos alunos. O papel do professor precisa passar por uma transformação, já que a criança não aprende apenas com os amigos, a família, a escola. Outro ponto importante: é necessário criar meios de transmissão do conhecimento a serviço da curiosidade dos alunos. O modelo de educação, sobretudo, não pode ignorar a curiosidade das crianças.
O Globo: Quais são os maiores problemas do modelo de ensino atual?
Edgar Morin: O modelo de ensino que foi instituído nos países ocidentais é aquele que separa os conhecimentos artificialmente através das disciplinas. E não é o que vemos na natureza. No caso de animais e vegetais, vamos notar que todos os conhecimentos são interligados. E a escola não ensina o que é o conhecimento, ele é apenas transmitido pelos educadores, o que é um reducionismo. O conhecimento complexo evita o erro, que é cometido, por exemplo, quando um aluno escolhe mal a sua carreira. Por isso eu digo que a educação precisa fornecer subsídios ao ser humano, que precisa lutar contra o erro e a ilusão.
O Globo: O senhor pode explicar melhor esse conceito de conhecimento?
Edgar Morin: Vamos pensar em um conhecimento mais simples, a nossa percepção visual. Eu vejo as pessoas que estão comigo, essa visão é uma percepção da realidade, que é uma tradução de todos os estímulos que chegam à nossa retina. Por que essa visão é uma fotografia? As pessoas que estão longe são pequenas, e vice-versa. E essa visão é reconstruída de forma a reconhecermos essa alteração da realidade, já que todas as pessoas apresentam um tamanho similar.

Todo conhecimento é uma tradução, que é seguido de uma reconstrução, e ambos os processos oferecem o risco do erro. Existe outro ponto vital que não é abordado pelo ensino: a compreensão humana. O grande problema da humanidade é que todos nós somos idênticos e diferentes, e precisamos lidar com essas duas ideias que não são compatíveis. A crise no ensino surge por conta da ausência dessas matérias que são importantes ao viver. Ensinamos apenas o aluno a ser um indivíduo adaptado à sociedade, mas ele também precisa se adaptar aos fatos e a si mesmo.
O Globo: O que é a transdisciplinaridade, que defende a unidade do conhecimento?
Edgar Morin: As disciplinas fechadas impedem a compreensão dos problemas do mundo. A transdisciplinaridade, na minha opinião, é o que possibilita, através das disciplinas, a transmissão de uma visão de mundo mais complexa. O meu livro “O homem e a morte” é tipicamente transdisciplinar, pois busco entender as diferentes reações humanas diante da morte através dos conhecimentos da pré-história, da psicologia, da religião. Eu precisei fazer uma viagem por todas as doenças sociais e humanas, e recorri aos saberes de áreas do conhecimento, como psicanálise e biologia.
O Globo: Como a associação entre a razão e a afetividade pode ser aplicada no sistema educacional?
Edgar Morin: É preciso estabelecer um jogo dialético entre razão e emoção. Descobriu-se que a razão pura não existe. Um matemático precisa ter paixão pela matemática. Não podemos abandonar a razão, o sentimento deve ser submetido a um controle racional. O economista, muitas vezes, só trabalha através do cálculo, que é um complemento cego ao sentimento humano. Ao não levar em consideração as emoções dos seres humanos, um economista opera apenas cálculos cegos. Essa postura explica em boa parte a crise econômica que a Europa está vivendo atualmente.
O Globo: A literatura e as artes deveriam ocupar mais espaço no currículo das escolas? Por quê?
Edgar Morin: Para se conhecer o ser humano, é preciso estudar áreas do conhecimento como as ciências sociais, a biologia, a psicologia. Mas a literatura e as artes também são um meio de conhecimento. Os romances retratam o indivíduo na sociedade, seja por meio de Balzac ou Dostoiévski, e transmitem conhecimentos sobre sentimentos, paixões e contradições humanas. A poesia é também importante, nos ajuda a reconhecer e a viver a qualidade poética da vida. As grandes obras de arte, como a música de Beethoven, desenvolvem em nós um sentimento vital, que é a emoção estética, que nos possibilita reconhecer a beleza, a bondade e a harmonia. Literatura e artes não podem ser tratadas no currículo escolar como conhecimento secundário.
O Globo: Qual a sua opinião sobre o sistema brasileiro de ensino?
Edgar Morin: O Brasil é um país extremamente aberto a minhas ideias pedagógicas. Mas, a revolução do seu sistema educacional vai passar pela reforma na formação dos seus educadores. É preciso educar os educadores. Os professores precisam sair de suas disciplinas para dialogar com outros campos de conhecimento. E essa evolução ainda não aconteceu. O professor possui uma missão social, e tanto a opinião pública como o cidadão precisam ter a consciência dessa missão. [ Leia esta entrevista no site do O Globo ]
Edgar Morin - Os limites do conhecimento na globalização | No vídeo exclusivo, Morin reflete sobre seus interesses enquanto filósofo e sociólogo: os limites do conhecimento e da razão, bem como a relação entre a poesia e a racionalidade. Ainda, questiona a possibilidade da mudança de pensamento em um mundo globalizado e acelerado. É possível sairmos de uma visão fechada em formas particulares para o pensamento complexo, capaz de ver os problemas em sua integralidade?


Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Música é mais que diversão. Ela pode melhorar a leitura


Uma dica para você, educador do ensino fundamental: a música ajuda os alunos a desenvolverem suas habilidades de leitura e escrita. Saiba mais.
A informação foi compartilhada pelo site “Todos pela Educação”, de uma matéria publicada no jornal “O Globo”.
Uma pesquisa feita pela Associação Americana de Psicologia concluiu que aulas de música contribuem à performance das crianças que apresentam dificuldades de leitura e escrita.
O que já se sabia é que a aprendizagem da música melhora a concentração e a memória, fortalecendo as funções neurais.
No entanto, seus benefícios não param por aí. A música é reconhecida como uma forma de linguagem, por isso, aulas de canto ou de instrumentos musicais favorecem o rendimento das habilidades de leitura e produção de texto, em qualquer idioma.
Essas conclusões foram tiradas após os pesquisadores acompanharem, por dois anos, grupos formados por mais de uma centena de estudantes de baixa renda, com QIs e capacidade de leitura semelhantes. Um dos grupos tinha aulas de música.
Descobriu-se que aulas regulares, por cinco ou mais horas por semana, evitaram a queda de aproveitamento em leitura, fato esperado em áreas mais pobres.
Para você, educador, a educação musical pode ser uma prática bem interessante na sala de aula, favorecendo o desenvolvimento da criança pequena em vários aspectos, como já vimos.
Por isso, seguem aqui algumas orientações que retiramos de uma matéria da revista “Nova Escola”, para ajudá-lo a planejar suas aulas:
É um erro pensar que trabalhando somente a letra da música você está fazendo educação musical. Nesse caso, você apenas está trabalhando poesia.

É um equívoco trabalhar a música apenas em ocasiões especiais, sem que se faça um planejamento de longo prazo.

Evite usar a música somente para formar hábitos e atitudes – como lavar as mãos, escovar os dentes – ou para ajudar a memorizar números ou letras do alfabeto. Essas canções costumam ser acompanhadas por gestos corporais que são imitados pelas crianças de forma mecânica, sem criatividade.

Focar todas as atividades em bandinhas rítmicas ou na confecção de instrumentos de sucata também não é recomendável. Esse material geralmente fica com uma qualidade sonora deficiente e reforça a imitação, deixando pouco espaço para as atividades de criação e percepção.

Na matéria da “Nova Escola”, Música para aprender e se divertir, tem muito mais. Confira!
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Atividade folclore: saci feito com caixa de leite reciclada

0
As idéias para comemoração do Folclore já começaram a chegar! Em todas as escolas os professores pensam em projetos, atividades, lembrancinhas e reciclar é sempre uma idéia genial! 



Vamos fazer um saci com caixa de leite? É fácil e rápido! Se tiver dúvidas, siga atentamente os passos abaixo. Ele pode ser feito para a exposição do Folclore na escola e inclusive pelos próprios alunos. Mas é um fantoche também e por isso serve para contar a lenda do saci com a turma!

Mãos a obra!

Materiais:

1 caixa de leite vazia, limpa e seca, sem o fundo.
Papel preto e vermelho.
Olhos recortados do molde ou olhos plásticos.
1 tampinha de garrafa plástica
1 palito de fósforo
cola
cola quente
canetinha preta
Molde:


1. Forre a caixa de leite com o papel preto, deixando embaixo uma beirada, ou seja, não corte rente a caixa, isso facilita o manuseio do fantoche.




2. Para o gorro é preciso medir com uma folha de tamanho A4 o papel vermelho, deixando 4 dedos a mais no comprimento da folha. Recorte.



Passe cola na parte de baixo da folha vermelha que você recortou, lembrando que a largura é a mesma da folha A4 apenas o comprimento é maior 4 dedos. Cole em volta da parte de cima da caixa (a parte fechada)



Ficará assim:



Agora vamos dobrar o gorro do saci para trás. Serão duas dobras: uma primeira e passe cola para prender, uma segunda dobra formando o bico do gorro sempre para trás e passando cola para prender. Veja como deve ficar:



Recorte a boca do saci utilizando o molde e cole:



Cole os olhos e desenhe com canetinha preta o contorno da boca.




Para fazer o cachimbo, enrole o palito de fósforo num pedacinho de papel preto, deixando uma pontinha. Cole a tampinha plástica preta sobre o palito coberto, na pontinha dele, com cola quente.




O fundo da caixa onde se deve introduzir a mão ficará assim:





Não ficou lindo?








Arte, criação, fotografia: Profª Liza Freitas, http://www.espacoeducar.net
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Porta retrato de palito de picolé




Se você gosta de fotografias e, principalmente, de enfeitar a sua casa e a sua vida com esses momentos registrados, que tal aprender a fazer um porta retrato diferente?
Hoje nosso site trouxe para você o passo a passo de como fazer um porta retrato com palito de picolé.
Materiais necessários:
  • Palitos de picolé
  • Cola branca
  • Tinta acrílica (opcional)
  • Flores artificiais
DIY & Crafts Tutoriais
DIY & Crafts Tutoriais
Como fazer:
DIY & Crafts Tutoriais
DIY & Crafts Tutoriais
Prepare os palitos a serem utilizados para esse artesanato.
Sugerimos que, caso você queira pintá-los, pinte-os antes de efetuar a colagem.
Depois de secos os palitos, faça uma espécie de janelinha, como na imagem acima.
DIY & Crafts Tutoriais
DIY & Crafts Tutoriais
Cole mais uma camada de palito em cada lado para dar mais firmeza ao seu enfeite.
DIY & Crafts Tutoriais
DIY & Crafts Tutoriais
Para dar ainda mais firmeza, faça uma base de palitos como na foto abaixo:
Foto: DIY & Crafts Tutoriais
Foto: DIY & Crafts Tutoriais
Agora, faça a base do seu porta retrato.
Foto: DIY & Crafts Tutoriais
Foto: DIY & Crafts Tutoriais
Depois de concluídas essas etapas, acrescente a foto desejada ao seu trabalho e, se quiser, poderá decorar um pouco mais o seu artesanato.
Fonte: http://diy-craft.blogspot.com.br/2014/02/diy-easy-popsicles-picture-frame.html
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

16 Alimentos que criança não deve comer antes de 2 anos ou +.


Muita mãe e pai tem “medo” ou dúvidas na hora da introdução alimentar, sendo que ao meu ver é a fase mais “fácil” quando falamos da alimentação dos pequenos. Pra mim só perde pra amamentação, que depois de pega acertada, mamãe e bebê se entendendo é “pápum”. A fase mais difícil na minha opinião é quando o bebê já cria uma certa autonomia, começa a completar meses, chega nos seus 12 meses e além de sua curiosidade por tudo que eles vêem, tem a famosa necessidade dos pais, avós  e palpiteiros de plantão em darem mais opções de comidas, que normalmente vem acompanhado da frase: – Tadinho, ele não vai comer isso? Pois é, quando a criança faz 1 ano, ao contrário do que dizem, tem muitos alimentos que ainda não indicados até que eles completem seus 2 anos ou mais e pra isso vale a pena a leitura dos rótulos e embalagens, pois alguns deles falam a idade indicada de consumo.
Pra ficar um pouco mais fácil, segue uma listinha básica do que seu bebê que acabou de completar 1 ano deve evitar de comer, ou melhor, uma lista do que você como mãe deve evitar oferecer pro seu filho:
1 – Chocolate:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Acho que isto é uma das coisas que todos contam os dias pra poder oferecer pras crianças. Infelizmente muitas comem antes mesmo de 1 ano, o que realmente é uma pena. Chocolate apesar de ser uma delícia (já confessei aqui que sou chocolatra), é rico em açúcar, gordura e cafeína. E até os 2 anos o açúcar deve ser evitado ao máximo.
2 – Balas, pirulitos:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Olha, apesar de serem coloridos, docinhos, tentadores, NÃO, eles não são comidas pra criança. Além do risco de engasgar, é açúcar puro. Ou seja, definitivamente não!
3 – Achocolatado:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Se você reparar, fuçar vai perceber que até alguns fabricantes dizem que não devem ser consumidos antes dos 3 anos, ou indicam uma quantidade de consumo à partir dos 3 anos menor que a “usual”. Achocolatados são praticamente açúcar.
4 – Café:
CAFÉ E CRIANÇAS: 15 Alimentos que criança não deve comer antes de 2 anos ou +.
Café é rico em cafeína, deve ser evitado em crianças com 1 ano. Existem estudos que dizem que pode ser consumido à partir dos 3 anos, outros dos 7 anos.
5 – Salgadinhos, biscoitos (bolachas) doces e biscoitos (bolachas) recheadas:
Imagens Pinterest
Imagens Pinterest
Ricos em sódio, ingredientes transgênicos, glutamato, corantes, gordura. Prefira sempre as opções mais naturais, caseiras.
Receitinhas bacanas:
Biscoito de Cacau, quinua e Aveia
Biscoito Amanteigado de Iogurte e Aveia
Biscoito de Polvilho
Snacks industrializados bacanas
Grissinis
6 – Embutidos (peito de peru, salsicha, mortadela, presunto, salame):
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Bom de sódio, gorduras, conservantes, corantes, nitrato (responsável por deixá-los avermelhados) que é cancerígeno. é porcaria pura. Pode ser gostoso, mas são porcarias e se você tem criança pequena em sua casa, é uma grande oportunidade pra parar de consumi-los. Abuse dos queijos na hora de petiscar. Pães com patês variados também são outras opções de petiscos.
7 – Refrigerante:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Esse devia ser evitado pra todo o sempre, afinal, nada de bom eles oferecem.
8 – Bebidas achocolatadas prontas:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Ricas em açúcar e gorduras. Deixe pra dar o leite batido com frutas na sua casa.
9 – Bebidas lácteas:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
A grande maioria são ricas em açúcar, corantes e conservantes. Existem algumas marcas que são iogurte natural batido e não contém os conservantes. Pra adoçar, bata com fruta.
Coalhada caseira
10 – Leite fermentado:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Apesar de ter a vantagem dos probióticos, são ricos em açúcar. Por isso é melhor esperar ter mais de 2 anos. quer dar pro e prebioticos? Converse com o pediatra de seu filho ou consulte uma nutricionista. Já existem no mercado pra adicionar à sucos.
11 – Bebida à base de soja:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Além do excesso de açúcar tem a soja. Alguns estudos dizem que soja deve ser consumida quando mais velhos.
12 – Petit Suisse:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Corantes, açúcar, conservantes …. Alguns fabricantes dizem que não deve ser consumidos antes de 3 anos.
Opções saudáveis pra você se divertir:
Iogurte Grego
Petit Suisse de morango
Peitt Suisse de Banana
Petit Suisse de Uva e Beterraba
13 – Sucos industrializados com açúcar:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Optem pelas opções naturais ou os sucos industrializados sem açúcar.
Aqui tem algumas marcas existentes no mercado:
Sucos sem açúcar
14 – Comidas prontas industrializadas (nuggets, hamburgueres, almondegas, lasanhas e etc):
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Sódio, espessantes, nitrato, gordura …. optem pelas opções caseiras sempre.
Olha aqui algumas receitas saudáveis pra você substituir as opções industrializadas:
Nuggets de Frango
Nuggets de Peixe
Hamburguer
Batata Smile
15 – Gelatina:
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Corante, açúcar e mais nada. Até mesmo a que existe no mercado mais saudável, com corantes naturais tem açúcar, orgânico, mas tem. Até 2 anos é melhor não consumir.
Receitinha super fácil:
Gelatina Natural
16 – Macarrão instantâneo: 
Imagem Pinterest
Imagem Pinterest
Excesso de sódio e não adianta falar que usa só o macarrão, pois o mesmo também é porcaria pura. Neste post do 4 Mães você acha algumas opções rápidas pra não precisa matar fada nenhuma, deixar o reino encantado repleto delas e a saúde de seu filho sempre em dia ;).
Se forem analisar, o açúcar é sim um vilão na alimentação das crianças e deve ser evitado ao máximo. Todos nós precisamos do açúcar, mas já o ingerimos de forma natural com as frutas, com alimentos em suas formas naturais. Desta forma, não precisamos ficar desesperados pra apresentá-lo em suas diversas formas aos Pequenos. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, açúcar deve ser oferecido após os 2 anos, assim as Crias já terão se acostumados com outros sabores, terão firmado seus hábitos alimentares e terão menos chances de serem os formiguinhas e desencadear um monte de doenças por causa do alto consumo do açúcar.
Além do açúcar, outro vilão na alimentação de nossos pequenos é o sódio. eles está presente em alta quantidade na maioria dos produtos industrializados e também merece nossa atenção. 
Pensem assim: As Crias vão viver por muitos anos, e nossa ansiedade de mãe pode esperar no quesito alimentação pra oferecer todas as delícias que existem, sempre com moderação.
Não estou “demonizando” nenhum produto ou marca, desta lista acima, na minha humilde opinião o que deve ser SEMPRE evitado são os números: 6, 7 e 14. As demais, basta ter noção e oferecer com a idade apropriada e SEMPRE com moderação, mas moderação de verdade e claro, atividade física fora do sofá ou do tablet.
Tem mais sugestão de alimentos pra esta lista? Comenta aí :).
Beijos
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

Receba nossas postagens