CD ACOLHIDA

Lindas camisetas de Pedagogia(CLIQUE NA FOTO)

FAÇA AQUI SUA PESQUISA

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Aprenda como ensinar a criança a amarrar sapatos


Amarrar sapatos não é uma tarefa fácil para uma criança. Para ela aprender ela precisa praticar muito. Por isso, vamos apresentar algumas dicas através de imagens que podem ajudar a criança a aprender com mais facilidade. Iremos usar modelos de papelão, EVA, caixa de sapato e etc. para que a criança possa tentar de novo e de novo para que a criança possa colocar os laços através dos furos e amarrar o nó. É muito simples de fazer. Você pode fazer junto com a criança:













Com informações: Imagens Educativas

Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

10 dicas para a elaboração do Plano de Aula



Preparar um plano de aula eficaz requer experiência e dedicação. Seguem 10 dicas que podem auxiliar os professores a elaborarem um plano de aula de acordo com os seus objetivos.

1. Por que isso é importante?
Quando você pretende ensinar alguma coisa essa é a primeira pergunta que você deve se fazer. Você deve estar pronto para responder a essa pergunta a qualquer momento, inclusive, durante a aula.

2. Qual o meu objetivo para os estudantes? O que eles devem ser capazes de fazer ao fim deste conteúdo?
Uma boa maneira de entender se um tema é ou não fundamental é planejá-lo criando objetivos para os seus estudantes, ou seja, o que você espera que eles sejam capazes de fazer ao fim daquela discussão. Compartilhe esses objetivos com os estudantes, isso é fundamental para que vocês estejam alinhados e para que eles conheçam as habilidades mais importantes.

3. Como o tema se encaixa no currículo geral?
Para criar uma aula significativa é fundamental que você conheça todas as maneiras de encaixar o conteúdo no currículo geral do estudante. Não se apegue apenas à sua matéria, vá além e identifique como o assunto tratado na sua sala de aula pode se relacionar com outras disciplinas, isso tende a incentivar os estudantes.

4. O que os estudantes já sabem sobre isso?
Procure entender como você pode ajudar os alunos a desenvolverem o conhecimento prévio sobre o assunto a ser tratado. Antes mesmo de começar a ensinar coisas novas, procure saber o que os seus alunos já sabem sobre aquilo e, a partir daí, comece a trabalhar para incrementar esse conhecimento.

5. Como eu posso despertar o interesse dos alunos?
O início de um capítulo ou unidade é o que vai garantir que os seus estudantes mantenham ou não o interesse naquilo que você está dizendo, portanto, você precisa chamar a atenção deles logo de cara. Uma boa maneira de fazer isso é procurar conexões entre o que está sendo estudado, a cultura geral e a vida do estudante. Outra opção é criar situações nas quais eles teriam de usar o que está sendo aprendido de forma prática.

6. Como eu posso apresentar esse material?
Pense em como aquele conteúdo pode ser melhor compreendido e não se mantenha preso a métodos tradicionais por medo de inovar. É fundamental que você pense nas maneiras como apresentará o conteúdo aos seus estudantes. Vá além do que o livro oferece, procure conteúdo agregado, como vídeos e apresentações, jogos e até mesmo seminários ou representações. Dessa maneira você poderá incentivar os estudantes em áreas além do que você está ensinando.

7. O que os estudantes farão durante as aulas?
Um bom plano de aulas deve prever diversas situações, inclusive o que os seus alunos farão durante as aulas. Os estudantes serão meros ouvintes ou participarão da aula de maneira ativa? Você proporá atividades práticas ou simplesmente apresentará o panorama do que está sendo tratado. Pensar no que acontecerá dentro de sala de aula é fundamental para criar atividades adequadas.

8. Como eu posso atender as necessidades de cada estudante?
Claro que toda a sala deve receber o mesmo conteúdo, mas você não pode deixar de lado as necessidades particulares de cada um dos seus estudantes. Essa problemática também deve aparecer no seu plano de aulas, ou seja, identifique quais são as principais dificuldades dos estudantes e pense em como resolvê-las. Uma boa dica é ficar atento ao tipo de aprendizado de cada um dos seus alunos.

9. Como eu posso ligar o conteúdo e a rotina dos estudantes?
Se você quer que sua aula seja significativa e relevante, faça com que o conteúdo abordado se aplique de maneira prática na vida dos estudantes. Descubra o que interessa a eles e trate de incluir suas descobertas no plano de aulas. Não se esqueça de que apenas você fazer essas conexões não é suficiente, ofereça a oportunidade de que seus estudantes também encontrem os pontos em comum.

10. Existe alguma tecnologia capaz de melhorar essa tarefa?
A vida dos estudantes basicamente gira em torno da tecnologia, com as redes sociais, pesquisas online e até mesmo grupos de estudo via Internet. Portanto, se você quer realmente chamar a atenção deles, o melhor é fazer isso no meio onde eles mais têm prática. Descubra ferramentas capazes de engajar os estudantes em experiências de aprendizado e dessa maneira eles estarão cada vez mais interessados em praticar o que você ensina.

Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

18 segredos que os professores nunca contam, mas que você vai adorar saber


Muita gente por aí tem, em mente, aquela imagem imaculada dos professores e acredita que eles estão sempre com livros à postos e prontos para dar alguma lição de moral em qualquer momento da vida. Acontece, no entanto, que essa é uma imagem muito romântica a respeito dos docentes (outra palavrinha que está relacionada aos professores, anote aí).
Ao contrário do que você poderia imaginar, eles comem, dormem, riem, bebem, saem e, por incrível que pareça, namoram ou são casados. Difícil de acreditar, não é? Pois acredite, seu professor de matemática ou aquela velhinha chata das aulas longas e cansativas de história não são assim tão tediosos o tempo todo!
Aliás, há muitos outros segredos sobre esses profissionais que a “inocente imaginação” das pessoas pode imaginar, sabia? Alguns deles, como você vai ver, estão na lista abaixo. 
Confira nossa seleção e descubra o que os professores nunca contam por aí, mas que você e quase todo mundo adoraria saber sobre o mundo dessa profissão:



1. Sim, eles sempre têm seus “alunos favoritos”


2. E, claro, alguns menos favoritos também


3. Eles também “cismam”, sem qualquer motivo, com a cara de alguns alunos, afinal, são seres humanos!
… Assim como os alunos dizem: não sei porque, mas não vou com a cara desse professor!
4. Eles se assustam tanto quanto os alunos quando são chamados, de repente, na diretoria



5. E eles – não todos, claro (rs) – também fofocam sobre os alunos


6. É óbvio: eles também riem das coisas idiotas que os alunos escrevem nos testes


7. Outro segredo: nem sempre eles leem os livros que recomendam em sala de aula


… coitados dos caras também, vida corrida, gente!
8. Normalmente passam filmes nos dias que estão com tanta preguiça de aula quanto os alunos (há exceções, claro!)


9. Se eles querem que uma pessoa tire nota baixa… bom, a pessoa vai tirar nota baixa


10. Eles ficam receosos quando precisam conversar com os pais dos alunos


Tem professor, por exemplo, que chega a treinar os argumentos da reunião em frente ao espelho, fazendo caras e bocas para impressionar e falar com autoridade.
11. Sabe o que mais deixa professores desconfortáveis nessa vida? Encontrar seus alunos fora do colégio!


12. A maioria dos professores são completamente surdos quando querem


13. E, às vezes, eles também precisam se esquivar de coisas erradas e porcarias que falam na sala de aula


14. Ahh, e uma coisa que você nunca deve esquecer: ele realmente têm olhos nas costas! Nunca duvide disso!


15. Ao contrário do que demonstram, eles se importam (e muito) com o que os alunos comentam sobre eles


16. Eles também adoram fazer perguntas para quem eles acham que não estudou ou que desconfiam que não tenha feito o dever de casa


17. Aliás, quando eles falam que “não deu tempo de corrigir as provas”… bom, provavelmente eles estavam por aí, descansando como você no final de semana!


18. E, finalmente: Eles também têm uma vida fora do colégio!


Fala sério, nenhum professor jamais contou coisas assim para você, não é?

Fonte: BuzzFeed
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Como tornar-se professor da EJA



Muitos leitores querem saber o que fazer para lecionar na EJA. Nos comentários do blog e nas redes sociais, recebi várias perguntas sobre localização das escolas que oferecem essa modalidade de ensino, requisitos burocráticos, atribuição de aulas, entre outras questões. Agrupei as principais dúvidas e tentarei respondê-las aqui. Porém, já adianto que cada rede tem suas particularidades e o ideal é informar-se diretamente na escola ou na Secretaria de Educação de seu estado ou município.
Vamos às respostas!
Em quais escolas públicas há Educação de Jovens e Adultos?
As listas de escolas públicas que oferecem EJA são consolidadas pelas redes estaduais e municipais, e muitas publicam essa informação em seus sites. No portal da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, por exemplo, é possível buscar instituições municipais que oferecem EJA em suas diferentes etapas.  A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo também disponibiliza esses dados em sua página, onde dá para fazer a consulta por cidade e por nível de ensino. Essas listas, contudo, mudam de ano para ano, pois muitas escolas deixam de ofertar turmas, enquanto outras abrem novas.
Algumas redes não divulgam as escolas na internet, mas, em geral, há contatos para obter essa informação – como é o caso do Maranhão. Portanto, essas fontes oficiais são as mais seguras e atualizadas para informar-se sobre isso.
Em que escolas da rede privada há Educação de Jovens e Adultos?
Existem muitas instituições particulares que fornecem cursos para jovens e adultos, uns pagos e outros, gratuitos. Em algumas dessas escolas, os professores trabalham como voluntários e não recebem remuneração.  O educador interessado na EJA pode, ainda, atuar em turmas organizadas por ONGs, universidades, centros comunitários, associações religiosas e em iniciativas de Educação popular (como o MOVA). Essas classes, por vezes, restringem-se a algum segmento, como alfabetização, ou têm relação com ensino profissionalizante. Para saber como tornar-se professor desses cursos, só mesmo informando-se com os responsáveis por eles, já que a diversidade na organização é grande e as especificidades são muitas.
É importante lembrar que nem todas as escolas estão habilitadas a oferecer certificação (histórico escolar e diplomas de conclusão), e essa informação só pode ser obtida na própria instituição que abriga o curso. Nesses casos, os alunos concluintes podem buscar os exames certificadores nacionais, como o ENCCEJA e o ENEM. No entanto,  é possível que o fato de não ter um diploma ao final do curso desmotive os estudantes e, consequentemente,  dificulte o trabalho docente. Vale ficar atento.
É preciso ter um diploma ou formação específicos para trabalhar na EJA?
Não. Do ponto de vista burocrático, os requisitos para ensinar nessa modalidade são os mesmos exigidos pelas escolas comuns. Se você dá aulas no ensino regular, pode dar aulas na EJA!
A escolha para trabalhar na EJA é feita na inscrição do concurso ou na atribuição anual de aulas?
Em geral, essa opção é feita durante a atribuição anual de aulas. Entretanto, isso muda muito de rede para rede: há vezes em que é feita na própria escola, outros nas Diretorias Regionais ou ainda na Secretaria de Educação. Também existem os casos de aulas remanescentes, aquelas que surgem ao longo do ano letivo e que podem ser atribuídas de maneira diferente em relação ao início do ano.
Além das escolas, há os espaços educativos específicos para EJA (como os NEEJA, no Rio Grande do Sul; os CEJA, no Mato Grosso; CIEJA, na cidade de São Paulo etc.), que fazem parte das redes públicas de ensino, mas têm horários e currículos diferenciados. As vagas de trabalho para esses centros, em alguns casos, são preenchidas por concursos específicos.
Como escrevi no começo deste post, a organização dos cursos de EJA é muito variada e as particularidades mudam de escola para escola, de rede para rede. Professor, caso tenha informações específicas do seu bairro, município ou estado, por favor, poste no espaço dos comentários, a seguir. Vamos colaborar para divulgar as informações e atrair cada vez mais docentes para a Educação de Jovens e Adultos!
Caso queira aprender mais sobre o assunto, recomendamos o curso de EJA! Clique Aqui 
Recomendo Curso de Pedagogia Hospitalar Recomendo Curso de Educação Infantil

Receba nossas postagens